A economia de seguro começa com a escolha de um carro.

Cada modelo aponta um valor diferente de seguro, fatores que combinam com vários outros, que as seguradoras avaliam na hora de fazer o orçamento.

Para descobrir qual tipo de seguro de veículo é o mais barato, você pode simular o prêmio do seguro de cada modelo – o valor do seguro adquirido no site do corretor de chamadas ou do corretor on-line.

A consulta também pode evitar problemas futuros, porque o corretor pode apontar que o veículo era o menos provável de ser o alvo dos ladrões naquele momento e, com frequência, gerava menos custos de manutenção.

1 – Carros com maior risco

Algumas características do carro podem mostrar o que representa o maior risco para a seguradora.

Os preços das apólices do grupo brasileiro de seguros, para segurar veículos utilitários são mais altos porque estão sujeitos a riscos mais longos.

“Os motores a diesel também têm uma taxa de roubo mais alta porque seus motores são usados ​​para diversos fins e há uma demanda maior pelo mercado negro”, explicou um corretor de seguros.

Alguns veículos podem causar um grande número de roubos porque um grande número de veículos está em circulação.

A situação ideal é focar na relação entre roubo e frota, não apenas no número absoluto de roubo.

Volkswagen Gol e Fiat Uno estão entre os veículos mais roubados, mas não estão no topo em relação à equipe. Já um veículo, por exemplo, Fiat Punto é alto em índice de roubos, pelo fato de que suas peças são difíceis de serem encontradas nos revendedores e o custo é alto, tornando-as mais popular no mercado negro.

Veja também: Veja 12 melhores seguro auto para seu carro

2 – Corretor com experiência

Um bom corretor pode não apenas salvar o valor do prêmio, mas também economizar tempo no momento em que a reclamação é feita (o segurado sofre um acidente ou perda e representa um evento em que o risco é realizado).

Mas como encontrar um bom corretor?

Se ocorrer um acidente no sábado à noite, e um telefone celular estiver conectado 24 horas por dia e fornecer todo o suporte necessário, no dia do acidente, um profissional destacado será reconhecido.

Além de trabalharem duro para encontrar a política mais acessível, os corretores mais cuidadosos também podem lembrar os clientes de preencherem questionários que geram descontos e podem acelerar o processo de compensação.

Afinal, corretores experientes podem entrar em contato diretamente com o departamento de seguros.

3 – Orçamentos com o maior número de seguradoras

Nos supermercados, carros e outras mercadorias, a comparação de preços é muito comum, mas para os seguros, a comparação de preços é menos importante.

No entanto, como qualquer outra compra, os pesquisadores têm uma vantagem.

E se, no passado, os corretores só podiam comparar os preços de quatro ou cinco empresas, hoje alguns corretores on-line permitem simular os preços de mais de 15 companhias de seguros gratuitamente com apenas alguns cliques.

Esta pesquisa é muito importante porque o valor do seguro do mesmo modelo pode variar bastante, dependendo da empresa.

“Uma companhia de seguros pode fazer reivindicações maravilhosas pela Gol, enquanto a outra não tem muito. Portanto, o valor do primeiro modelo pode ser menor e o valor do segundo modelo, maior”, disse Ilson Barcellos, especialista em seguros.

O professor da ESPM, Adriano Gomes, sugeriu que, além do preço, os clientes também analisem qual companhia de seguros deve ser empregada com base na eficiência no momento da reclamação. Ele disse que, embora algumas empresas tenham iniciado imediatamente os procedimentos de compensação, outras exigiram quase a certidão de nascimento de seus clientes e eram muito burocráticas.

Adriano Gomes disse: “O acidente gerou uma pressão tremenda, portanto, ao comparar empresas, você não pode tomar uma decisão apenas porque as empresas ‘A’ ou ‘B’ são mais baratas em 10 reais.

4 – O barato que pode sair caro

Economizar 200 reais ou menos, pode gerar um efeito contrário em termos de satisfação.

Isso pode acontecer com segurados muito preocupados com a cobertura de roubo, mas não com danos causados ​​a terceiros.

“O seguro não apenas protege sua propriedade, mas também compensa as perdas causadas a terceiros”, afirmou Adriano Gomes.

Segundo ele, a cobertura de terceiros costuma ser de 50.000 reais, mas pode ser aumentada para 500.000 reais, e é preciso pagar apenas 200 reais.

O professor acrescenta que essa cobertura engloba não só eventuais danos a carros de terceiros, como indenizações por danos morais.

“Em um atropelamento com vítima fatal, o juiz define a indenização observando o rendimento recente do falecido, multiplicado pelos anos de vida que ela teria pela frente. Essa indenização pode passar de 1 milhão de reais facilmente”, diz Adriano Gomes.

Evandro Menestrin, sócio de um Corretora, disse que muitos clientes procuram economizar assinando a cobertura mais básica com um terceiro de 50.000 reais.

“Se um carro do cliente atingir 80.000 reais, a cobertura mínima será de apenas 50.000 reais.

Comparado ao pagamento de 30.000 reais que não são cobertos pelo seguro, são pagos 200 reais.

E expandir a cobertura de seguro é uma escolha melhor, para que o barato não se torne caro depois”, disse.

Também o alerta para economizar quilometragem de carro sobressalente e guincho.

Para alugar um carro reserva de 15 dias, os clientes podem pagar de 100 a 300 reais a mais, o que é mais barato do que pegar um táxi durante os reparos (geralmente pelo menos dez dias).

5 – Não pague pelo o que você não precisa

Também devemos ter cuidado para não cometer crimes excessivos e pagar custos desnecessários.

As companhias de seguros estão cada vez mais vendendo seguros e são mais indulgentes, como reparos elétricos, serviços de eletricista e encanador e descontos em estacionamentos e despachantes.

No entanto, é importante avaliar se esses serviços aumentarão os preços dos seguros e se você realmente usará todos esses seguros.

Veja também: Veja 12 melhores seguro auto para seu carro

6 – Preencha o formulário com atenção

Preencher o formulário não é divertido, é uma chatice na verdade. Mas tratar o formulário com paciência e cautela pode trazer grandes descontos.

Os dados nele contidos são muito importantes para mostrar o status de risco do segurado e formar o preço do seguro.

De acordo com Evandro, geralmente ocorrem descontos, mas o problema com a negligência dos clientes é a quilometragem média.

“As pessoas não sabem a quilometragem, elas a chutam. Quanto maior a quilometragem, maior o risco para o carro e maior o custo do seguro. O ideal é tornar a quilometragem mais próxima da sua situação real”, afirmou.

Dizer com precisão quem usará o veículo também tornará o preço diferente.

Se o carro for compartilhado por sua mãe e seu filho de 18 anos, mas ela usará o carro na maioria das vezes, informe o questionário que isso trará um desconto, mas a realidade é importante.

7 – Auxilie a seguradora a te ajudar

Se você raramente chama o corretor para a companhia de seguros, os benefícios se aplicam não apenas a eles, mas também a você.

Uma pesquisa realizada pela corretora on-line Bidu.com.br mostrou que a variação média dos preços dos seguros entre clientes que registraram sinistros e aqueles que não se registraram por mais de dois anos é de 18,74%.

Isso ocorre porque as companhias de seguros adotaram uma política de desconto do tipo dividendo, que oferece descontos aos segurados que não registram sinistros por um período de tempo.

Por exemplo, no primeiro ano de seguro, o cliente é classificado como nível zero.

Se ele não registrar reivindicações e renovar a apólice após um ano, ele será promovido para o primeiro nível e, no terceiro ano, será atualizado para o segundo nível, e assim por diante.

De acordo com a pesquisa de Bidu, se o cliente atingir o nível de bônus 10 (o máximo possível), seu pagamento médio será 49,47% menor que o pagamento de nível 0.

Mesmo que você troque de seguro ou compre um carro, o número de categorias de bônus não será perdido.

Se a nova seguradora não a classificar automaticamente na categoria à qual pertence, o cliente poderá enviar sua política antiga para provar sua categoria e mantê-la no novo contrato.

8 – O que é melhor, prêmio ou a franquia

A franquia é o valor pago pelo segurado para compensar algumas das perdas quando o veículo estiver parcialmente danificado (excluindo danos a terceiros) e a companhia de seguros tiver iniciado.

Quanto maior a franquia, menor o prêmio do seguro e vice-versa.

Existem três tipos principais de franquia: estendido, básico, reduzido e isento de impostos.

Na expansão, o valor do seguro é menor, mas no caso de sinistro, o valor pago pelo segurado pela reparação do carro é maior.

Entre as franquias básicas, o valor do seguro aumenta, mas as franquias são mais baratas.

Como o nome indica, entre as franquias reduzidas, o valor do pagamento dedutível é muito menor, mas o valor final do seguro é maior.

E a franquia isenta de impostos elimina a necessidade de pagamento do segurado na reivindicação, mas o custo inicial do seguro é mais alto.

9 – Avise sobre quaisquer alterações

Assim como o preenchimento correto do questionário pode gerar descontos, as informações serão atualizadas quando renovadas.

Às vezes, o segurado pode obter um desconto porque não tem garagem para trabalhar, foi promovido, agora é promovido ou a empresa mudou-se para uma área menos perigosa.

10 – Seja honesto nas informações

Usar um endereço residencial diferente do seu, ignorar as informações de que um carro é usado por várias pessoas ou dizer que um carro estacionado em uma garagem na rua é uma fraude típica.

Essas pequenas mentiras, cada vez mais são desmascaradas pelas corretoras.

Em alguns casos, a afirmação pode até ser verdadeira, mas isso não é suficiente. Os dados devem ser totalmente consistentes com a situação real.

Se o cliente tiver uma casa no país e o endereço da fazenda for usado como residência principal, se a companhia de seguros provar que mora na capital, poderá haver uma compensação negativa.

Veja também: Veja 12 melhores seguro auto para seu carro